BLOGS: Blog do André

Blog UOL

De mudança

14/12/2009

Meu blog mudou lá pro MiXBrasil, com layout novo eum monte de outros blogs vizinhos bacanas..

Olha lá

http://mixbrasil.uol.com.br/blogs/andre-fischer/2009/12


Escrito por André Fischer às 15h57 Comentários Envie

Sonhando

10/12/2009

Les Rita Mitsouko são uma das minhas bandas favoritas dos anos 80. Letras com situações inusitadas, sacanas, som difícil de classificar.
Catherine Ringer era bailarina e as coreografias dos clipes e shows são absurdamente sensacionais. Ela era casada desde o começo da banda com seu parceiro Fred Chichin, um puta músico talentoso.

Godard fez um filme com eles no começo dos 90, eram um casal muito bacana. Entre os sucessos deles está Marcia Baïla, C´Est Comme Ça (q teve até versão do Capital Inicial) e Les Histoires D´A (das minhas favoritas, " as histórias de amor sempre terminam mal, em geral", do clipe caseiro que você vê aqui embaixo)

Eles atravessaram o fim dos 90 e começo dos 00 com poucos sucessos, até que em 2007 fizeram um álbum absolutamente genial, Variéty, um dos melhores da década. 
Quando se preparavam para a grande volta, Chinchin,53, descobriu que estava com câncer, em fase terminal e morreu dois meses depois, justamente quando o disco chegou às lojas. Estava em Paris quando rolou esse emocionado lançamento. Nem fizeram clipe.

 

Pra quem entende um tiquinho de francês, dedico a fofa letra de Rêverie. Romântica até os ossos. É o que tenho ouvido sem parar no carro essa semana.

Depuis son tout jeune âge, elle est avec lui
Elle rêve du long voyage, celui d'elle et lui
Et de faire toute sa vie, sa vie à ses cotés
C'est l'amour,
D'une jeune femme en fleurs
Jeune femme d'aujourd'hui

Il est si drôle et tendre, veut rester petit
Et elle, elle veut l'attendre, pour qu'il ait grandi
Comme il a peur aussi de blesser sa chérie, il fuit
C'est l'amour, oui l'amour
D'un jeune homme en fleurs
C'est ça l'amour d'une jeune femme en fleurs
Jeunes gens d'aujourd'hui

Qui voudrait d'un naufrage, comme on en voit tant
Oh non le mariage n'est pas jeu d'enfant
Le mariage, ou équivalent
Le mariage, et pourtant

 


Escrito por André Fischer às 19h48 Comentários Envie

O Ano que Vivemos em Perigo

02/12/2009

No réveillon de 2009 parecia que o mundo ia acabar. Mas no final de contas sobrevivemos todos e parece que vamos sair mais fortes dessa. No trabalho e na vida particular a crise influenciou muito a maneira como as coisas se desenvolveram.

17o MixBrasil: Por um momento parecia que nem ia acontecer. Festivais de cinema em todo país sofreram cortes severos de patrocínios, não foi diferente com o Festival MixBrasil de Cinema da Diversidade Sexual.  Ele acabou rolando, com menos da metade da verba do ano passado. Mas como as expectativas eram baixas, acabou sendo bem melhor do que imaginávamos, tendo inclusive crescido o público.

Junior: Com o fechamento da editora onde fazíamos a revista montamos nossa própria editora e passamos a controlar 100% do processo, da compra de papel ao controle das promoções e presença em banca. Com o crescimento das vendas e a chegada de novos anunciantes, nos preparamos para o lançamento de novos títulos. A começar pelo Guia Junior, agora em dezembro, e dois novos projetos para o primeiro semestre de 2010.

Viagens internacionais: Fiquei um pouco assustado com o andar da cena gay em países ditos civilizados. Em Nova York praticamente acabou, com revistas, livrarias e clubes fechados, em Miami lugar gay virou coisa de turista, em Copenhague os jovens teoricamente não acreditam mais em separações por orientação sexual e bares gays são coisa de terceira idade. Em Buenos Aires a cena já teve momentos melhores. Apenas em Paris a cena gay parece mais forte do que nunca. Mas ali gays vivem em guetos cada vez mais fortes e distantes do resto da população. As agradáveis surpresas ficaram por conta da riquíssima simplicidade da Escandinávia, hippiesmo sobrevivente de Christiania e pela cozinha sofisticada, cena gay pequena mas animada e a arquitetura medieval de Lyon.

Site MixBrasil: Em julho sofremos o pior ataque dos 15 anos de história. Perdemos boa parte do conteúdo, a ferramenta de publicação e tivemos que começar tudo quase que do zero. Quatro meses depois entrou no ar o novo site, vitaminado e já com dezenas de milhares de páginas. Tudo novinho, com cara de 2010. 

Varanda nova: Há anos sonhava com a construção de um deck saindo diretamente da sala  e finalmente minha casa passou por essa reforma, que incorporou mais de 30 m2, muito sol e um jardim. Custou um pouco caro e o dedo de um pedreiro (que no final conseguiu costurá-lo de volta), mas valeu a pena.

 


Escrito por André Fischer às 19h43 Comentários Envie

Dia de Luta por Direitos Universais

01/12/2009

Por uma estranha coincidência a votação do Senado que se tornou uma espécie de plebiscito para ver quem tem mais poder de fogo na rede, lgbts ou evangélicos, acabou à 0h do Dia Mundial de Luta Contra Aids.

A pesquisa, que estava empatada, pau a pau, até a última hora, queria saber se deve ser crime discriminar homossexuais, idosos e deficientes físicos, da mesma maneira que a lei já prevê textualmente contra outras minorias como negros, mulheres e evangélicos.
A luta contra aids surgiu justamente dentro da comunidade gay, ao lado de hemofílicos e viciados em drogas injetáveis,  grupos inicialmente mais afetados pela doença.  Fazendo a Polyana, a aids, que levou muitos amigos queridos, teve o papel de mobilizar um grupo para lutar por direitos em um momento que também lutava pela vida.

Dessa vez a comunidade gay e seus simpatizantes podem não ter ganhado essa pesquisa, que é uma consulta informal e sem nenhum critério técnico.

No mesmo site do senado 56% querem ensino religioso em escolas públicas e qualquer um, em plena consciência democrática, sabe que isso seria uma violência contra o ensino laico e o estado laico. Mas da metade da população já afirmou em pesquisa quer a pena de morte e nem por isso ela vai ser decretada.

O que importa é que, ganhando ou perdendo, o projeto tem que ser votado. Essa pesquisa demonstrou que algumas centenas de milhares de pessoas, gays e não gays, se manifestaram por um direito que é negado. O direito de não ser discriminado. Defender a discriminação tem que ser crime. Não ser discriminado por sua orientação sexual, idade ou portar deficiência é um direito básico.
Discriminar tem que ser crime no Brasil. Ponto.


Escrito por André Fischer às 01h28 Comentários Envie

Quase lá

27/11/2009

Você já viu qe o MixBrasil mudou. A gente acha que mudou para melhor, espero qu você ache o mesmo. Decidimos deixar transparente a transição, poisnõ estávamos mis aguentando o site antigo. Ainda há algumas seções que devem entrar ( como agenda, radio e 10+) e outras que vão melhorar muito (como sexo). E há vários pequeno paus (na tv e no twitter por exemplo) ou na diagramação.

Mas tudo deve estar  nos conformes até o comecinho de dezembro.  Teve o Festival MixBrasil e o fechamento da Junior#14 que embolaram o meio de ampo. Aguenta um pouquinho só que já já ele fica lindão e todo bom.

Obrigado pela paciência...


Escrito por André Fischer às 19h10 Comentários Envie

Monstro de Silicone

19/11/2009

Em 1993 apresentei no Festival de Cinema Gay e Lésbico de Nova York seleção de curta brasileiros que incluía reportagem intitulada Monstro de Silicone, fetia pelo Goulart de Andrade ( do "Vem Comigo" Plantão da Madrugada) realizada em 1990. Todos ficaram muito chocados com as travestis que perdiam a noção de estética e tamanho e se aplicavam silicone até virarem deformações.

Não muito diferente do que muitas barbies andam fazendo, 20 anos depois...

 


Escrito por André Fischer às 18h04 Comentários Envie

Frio na barriga

18/11/2009

Depois de meses de planejamento e trabalho (e bastante inve$timento) entra on line o novo portal MixBrasil. Novo layout,nova navegação, novo servidor, novo conteúdo depois dodesaste ocorrido em julho que quase jogou fora o trabalho de ua vida. Hoje  especialmente,e nos próximos dias áinda, o site estará meio zoado. São 15 anos de conteúdo que vai ser migrado e a maior mudança tecnológica, de visal e formato em toda nossa história.

É uma mudança importante para adequar o MixBrasil ao novo momento da internet, assumir nossa histórica posição de vanguarda e lutar pela manutenção da liderança no segmento, cada vez mais profissionalzado e disputado. 

O Festival MixBrasil de Cinema, que entra na metade final após o melhor Show do Gongo dos últimos tempos, passou por momentos  bem difíceis esse ano, que beiraram seu cancelamento. Mas as dificuldades estão sendo superadas e essa edição mais enxuta, mas muito bem sucedida a partir do planejado, nos dá forças para buscar um novo crescimento ano que vem.  

Na Junior já entramos na fase de planejamento da mudança da periodicidade para mensal, frente os bons resultados dás últimas edições. O Guia Junior se prepara par carreira solo já no mês que vem e a nova revista já está endo trabalhada para lançamento em março.

Momentos difíceis servem para acertarmos problemas pendentes e forçam uma energia redobrada para encarar os desafios. Tenho certeza que sairemos mais consistentes e maduros dessa. E prontos para encarar 2010 de peito aberto e queixo erguido.


Escrito por André Fischer às 15h03 Comentários Envie

Dicas de filmes

12/11/2009

rapidinho, na saída para a abertura do 17o Festival MixBrasil de Cinema.

Como algumas pessoas pediram, indico aqui 5 sessões imperdíveis desta edição:

- Pecado da Carne: provavelmente o melhor filme gay do ano. Em Jerusalem, açougueiro hortodoxo casado tem affair quentíssimo com estaudante da Torá.

- Strella: Cara da prisão em busca do filho encontra trans por quem e apaixona. Grego, fortíssimo, elenco sensacional.

- Me dê a mão. Dois irmãos franceses vão atrás da mãe na Espanha. Road movie super sexy

- Guia do Turista Decadente: Roteiro de viagem esquisitão por Paris, Milão e Berlim. Trash, divertido, muitos lindos.

- Sexy Boys: Vermelho Intenso e  Amor fraterno são os melhors curtas estrangeiros do festival 

 

da uma olada em tudo, sinopses, fotos, horários no www.mixbrasil.org.br

 

amanhã posto com calma mais 5


Escrito por André Fischer às 17h20 Comentários Envie

Onde você estava no apagão?

11/11/2009

Tem momentos que as complicações do dia a dia fazem você esquecer como a vida é bacana e que temos que agradecer sempre.

Ontem, estávamos em nossa suíte no Credicard Hall, aguardando show da Donna Summer, quando começaram a pipocar telefonemas e torpedos de amigos e familiares sobre o apagão. Pinheiros, Perdizes, Higienópolis, depois Ipanema, Leblon, Jardim Botânico. Tudo apagado. Enquanto isso apenas uma piscada na luz e começava um show que foi uma gratíssima surpresa.
Donna Summer, mesmo sem dançar nada, comanda a platéia, segura a voz maravilhosa de sempre e está linda. As projeções são super bacanas e dão climão à sucessão de sucessos. As músicas do álbum novo também são incríveis.
Estávamos felizes, entre amigos, tomando champagne, compartilhando um momento incrível enquanto sabia de notícas de arrastões no Rio e que pelo Blackberry que até o Paraguai estava apagado.
Um lindo do nosso camarote perdeu boa parte do show resolvendo problemas pelo telefone, sem desfrutar nada. Tadinho.


Escrito por André Fischer às 10h55 Comentários Envie

Do Começo ao Fim, o filme

05/11/2009

Desde o começo, o diretor Aloizio Abranches quis contar a história de amor entre dois irmãos que se amavam, mas sem julgamento moral. Provavelmente ela teria que se passar em um mundo que não existe.
Atores lindos, elenco estelar, produção bem cuidada e belas paisagens dão suporte ao corajoso argumento que aborda uma relação incestuosa delineada desde a infância que se concretiza quando adultos.
O mundo perfeito criado pelo filme poderia ser uma utopia, se essa utopia fosse assumida. Os diálogos não sustentam essa realidade paralela. Não há drama, nem na família, nem na sociedade, nem entre eles. Ninguém se incomoda. Tudo conspira para que o amor deles frutifique. Nem uma separação é capaz de gerar conflito.

E parte daí o estranhamento do filme.  Só há sorrisos, gente rica e linda. Nem mesmo duas mortes são capazes de pesar o clima de comercial de margarina. Pelo contrário, elas são soluções fáceis para a história.
Teve gente chorando na sessão para imprensa. Emocionados com o amor puro entre os moços e pela delicada relação da mãe com os filhos .
Os problemas de roteiro, para mim pelo menos, dificultaram um envolvimento maior com a história.

Ainda assim é fundamental assistir a Do Começo ao Fim. É um filme que certamente terá uma carreira internacional e que, além das imagens de sexo ( e muito nu), merece crédito pela originalidade de falar de amor incestuoso sem julgamentos morais .
Outros filmes que abordam essa temática , e que estão presentes no Festival MixBrasil de Cinema esse ano, invariavelmente caem na desgraceira.


Escrito por André Fischer às 01h41 Comentários Envie

Mais uma Parada

01/11/2009

Amanhã tem Parada Gay aqui no Rio. Numa conta rápida, deve ser perto da 40a Parada Gay que estarei presente.
As Paradas são importantes, nem mais pela mobilização que geram, já que todas viraram micareta mesmo. Contam pela visibilidade, colocam a palavra gay na primeira página dos jornais. E pouco além disso.
A do Rio pelo menos leva o governador, e esse ano provalmente o prefeito também, o que dá um aval importante do poder público à causa gay.

Ms como tudo na vida, chega uma hora que entra no automático e a emoção se perde.
Essa coisa dos trios elétricos já não deu?
Imagino que ainda tenha gente que está indo na sua segunda ou terceira Parada. Mas logo logo chegará o esgotamento a esas pessoas também.

Não valeria a pena pensar em um formato novo, talvez menos festivo, mais político? Ou se for para manter a festa, não vale pensar uma festa diferente? 


Escrito por André Fischer às 02h50 Comentários Envie

Sexy back

23/10/2009

Depois da volta de Nova York, onde a cena gay está minguando com uma rapidez impressionante, cheguei até a questionar se realmente faz sentido continuar militando por essa causa.
As livrarias gays fecharam, revistas gays faliram na crise mais do que as não-gays, não há mais saunas nem sexclubs. Tudo em nome de uma inclusão que, na real, na real, ainda está longe de ser completa.
Não adianta o discurso que não é mais necessário lutar por espaço e reconhecimento. Assistindo Patrick 1.5, filme sueco que mostra um casal gay que adota uma criança, vê-se que mesmo na mais tolerante das sociedades existe preconceito. Crianças batem na casa deles chamando-os de viados, os vizinhos se sentem constrangidos de chama-los para frequentar suas casas. 

A idéia de que todo mundo é igual independente da orientação sexual,  à primeira vista pode parecer uma idéia muito sedutora, mas esbarra no preconceito que ainda existe mesmo em Nova York ou Estocolmo e engendra a possibilidade real de um retrocesso mais tarde. Insistir em ser gay, ser diferente, pode voltar a ser considerado um problema.

Nada substituiu a visibilidade e a existência de cena gay de verdade, que tem características próprias. Estou lendo The Boy, uma autobiografia do Edmundo White contando sobre sua vida em Nova York nos anos pré e pós Stonewall. Nos anos 70 a cena gay da grande maçã era infinitamente mais fascinante do que a coisa asséptica que virou hoje.

Por isso fiquei feliz ao saber que The Lair, seriado da here! TV sobre vampiros gays, chegou à terceira temporada sem nenhum pudor.

Dá uma olhada no pequeno trailer com cenas do seriado, editadas muito apropriadamente com Sexy Back do Justin. 
 


Escrito por André Fischer às 17h29 Comentários Envie

O Feioso Pauzudo

21/10/2009

Intimidado pelos corpos e rostos perfeitos dos clubes, ele nem costuma sair para baladas. À noite vai no máximo a um barzinho, de preferência os mais sossegados. Não usa marcas de moda, pois acha que só marcam mais seus pneus. Também não dá muita atenção ao cabelo, pois a calva já ocupa quase metade da cabeça.

Mas é sem roupa que o patinho feio se revela.

Vai a praia de nudismo, é o rei do quarto escuro, glória dos glory holes. Na academia passa mais tempo no vestiário trocando de roupa, tomando banho do que malhando. Na sauna posiciona estrategicamente a toalha para revelar justamente a parte mais avantajada da sua anatomia.       

Fica excitado quando percebe que chama atenção. E se satisfaz depois em ver aqueles corpos e rostos perfeitos pagando pau pra ele.


Escrito por André Fischer às 18h59 Comentários Envie

Falando em política

19/10/2009

Fui convidado para participar do Festival de Política organizado pela Trip e Studio SP. O objetivo é pensar na viabilidade do Brasil e levantar o que podemos fazer para mudar nosso país.

A principal causa de um país que começa a poder pensar no seu futuro é garantir  acessibilidade plena a toda informação. Nessa Era de Aquario que começa, a comunicação passa a ser o maior valor devemos discutir de maneira séria os limites do controle sobre a informação e a garantia de liberdade no uso dela.

A popularização de netbooks e smartphones ao mesmo tempo, que vai colocará a possibilidade de comunicar na mão de cada indivíduo também o tornará mais controlável. Com o GPS embutido nos equipamentos somos todos bispas Sônias com suas tornozeleiras.
Serviços de controle parental que já estão sendo usados por famílias americanas podem parecer positivos para pais que querem saber onde estão os filhos por segurança, mas dá medo a possibilidade de ser  localizado a qualquer momento.

É muito importante nesse momento garantir a restrição ao acesso das informações pessoais. Devo ter o direito de não ser seguido. Caminhamos para um mundo onde a privacidade será um conceito do passado, mas isso só pode acontecer daqui a muito tempo em mundo mais perfeito, onde as liberdades pessoais estejam totalmente garantidas. Países como a Coréia do Norte, China, Irã e Cuba usam a internet para cercear a liberdade. Imagine se essas tecnologias estivessem disponíveis há 150 anos? Todos os negros do Brasil teriam chips implantados para serem melhor controlados. A Microsoft vai lançar em 2010 a Xbox Natal , que reconhece rostos, vozes e movimentos das pessoas dentro de casa. Imagine se elas estivessem instaladas nas casas da Somália, onde mulheres que usam sutiã estão sendo perseguidas?

Precisamos estabelecer imediatamente regras que sejam fruto de consenso. A pornografia infantil, por exemplo, já foi elegida como algo que deve ser eliminado da rede mundial.

Outras causas fundamentais devem estabelecer parâmetros das liberdades individuais. Já.

Os direitos civis lgbt foram encampados pelo discurso mais liberal nos países mais avançados independente da pressão de grupos de militância gay. Foram políticos e eleitorados de maioria heterossexual que entenderam que eles representam a defesa de direitos fundamentais de expressão, no caso aplicados à orientação sexual.
Em países como Espanha, Holanda, Canadá, Escandinávia e parte dos EUA isso já é uma realidade. Na Africa do Sul por motivos históricos a defesa por direitos lgbt foi incluída na defesa das minorias. Nosso vizinho Uruguai levantou a bandeira dos direitos humanos

Zapatero foi eleito na Espanha defendendo direitos para gays e lésbicas, levantou essa bandeira  e cumpriu nos primeiros meses de governo. Obama, que também defendeu direitos lgbt em sua campanha, já se movimenta para cumprir promessas. Eles não estão apenas agradando uma pequena minoria. Entendem que essa é uma questão emblemática dos direitos individuais.

No Brasil as Paradas e outros movimentos nos deram visibilidade e muito acreditam que isso já seja suficiente. A baixíssima mobilização da comunidade lgbt (que não é diferente do resto da sociedade brasileira) fez com que essa visibilidade não se traduzisse até agora direitos.

E a visibilidade, em um mundo cada vez mais parecido com o 1984 de Orwell, pode sumir a qualquer momento.

Não basta o presidente Lula ir a um  Gongresso LGBT e dizer que acha bacana ser gay. Teria sido um momento histórico se isso tivesse se traduzido  em um objetivo real do governo de transformar o discurso em lei.

Só o que vira lei é uma real conquista, que não pode ser deletada.
Quando fazemos política, falamos em fazer leis, agir de acordo com elas e defender essas leis.

O PL 122 que está tramitando no Congresso desde 2006 prevê a criminalização da homofobia, igualando-a  ao racismo. Não explicitar a proibição de descriminação por orientação sexual, como acontece nos casos de raça, cor, sexo, idade e credo, torna essa questão invisível e passível de ser esquecida.

A causa dos direitos lgbt não deve apenas ser de gays e lésbicas. Ela é uma causa de toda a sociedade, assim como foram a liberdade religiosa, os direitos da mulher e a luta contra o racismo.

 


Escrito por André Fischer às 17h26 Comentários Envie

Cilada americana

02/10/2009

Engraçado ver a escolha da sede das Olimpíadas nos EUA. Dois terços do noticiário foi sobre a derrota de Chicago e análise do fracasso mesmo com a presença dos Obama. Disseram que o COI optou pela festa e votou mais com coração do que com a cabeça. Mas no final também lembraram que das 30 olimpíadas, 12 já foram aqui.
Não é a solução dos problemas do Rio, mas pode indicar uma boa oportunidade para resolvê-los.
Vamos celebrar.
*
Hoje mudamos de Midtown para o Village. Aquilo lá em cima realmente não é meu lugar. Sem graça, sem personalidade. Hoje , passeando pelo Soho e Nolita, me senti em casa.

*
A cena gay certamente está mais devagar. Revistas fechadas, negócios decadentes, bem menos clubes e bares que 5 anos atrás. Em Hell´s Kitchen algumas festas de novinhos, Chelsea já foi. A onda certamente é outra. De uma maneira geral, está tudo mais devagar. A crise é visível. Em South Beach, balneariozão, o dinheiro sempre foi mais curto e a crise aparece menos.
*
Estou twittando direto daqui...


Escrito por André Fischer às 21h59 Comentários Envie


Busca
Infomix
Receba o boletim de notícias do Mix no seu e-mail.
2009 - MIX BRASIL - © Todos os direitos reservados